Bibliotecas · Educação · Literacia da informação · Literacia dos média · Novas literacias · Seminários/Conferências

Conferência: “Os quadros europeus de competência digital e suas implicações para os profissionais de informação”

Hoje, 26 de maio, pelas 21h00, decorre a 3ª sessão online das Conversas entre Margens, organizada pela Delegação Regional da Área Metropolitana de Lisboa da BAD, subordinado  ao tema “Os quadros europeus de competência digital e suas implicações para os profissionais de informação“.

O objetivo desta conferência é fazer o enquadramento dos dois quadros Europeu de Competência Digital (para cidadãos – DigComp 2.1. e para os educadores – DigCompEdu) e referir de forma geral as suas implicações para o trabalho dos profissionais da informação nomeadamente as decorrentes do Plano de Ação para a Transição Digital, publicado na Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020.

O que se pode aprender com esta 3.ª sessão?

As grandes linhas de orientação dos quadros europeus de competência digital e do Plano de Ação para a Transição Digital, publicado na Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020.


O que se pretende debater com estas conferências?

Novas estratégias de comunicação com os utilizadores, novas formas de gerir Serviços de Informação.

A quem se destina?

A todos os profissionais da informação.


As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias.

Bibliotecas · Leitura · Livros

10 livros nos quais as bibliotecas são protagonistas

Na data em que se assinala o Dia Internacional da Biblioteca Escolar, deixamos aqui dez livros que têm as bibliotecas como protagonistas, muitos deles autênticas obras-primas da literatura mundial.

A Biblioteca à Noite

de Alberto Manguel

A partir da sua mítica biblioteca pessoal, Alberto Manguel, um dos mais conceituados bibliófilos do mundo, conta-nos tudo o que sabe sobre a história, o fascínio e os enigmas das bibliotecas. Ao construir a sua biblioteca com mais de 40 mil livros num antigo presbitério em França, Alberto Manguel debateu-se com as mesmas questões de um qualquer bibliotecário caseiro: é melhor dividir por línguas? A ordem alfabética será a mais prática? Os géneros não deviam estar agrupados?


O Nome da Rosa

de Umberto Eco

A ação desta obra-prima de Eco decorre num mosteiro beneditino, na Itália medieval, onde Guilherme é chamado para investigar a misteriosa morte de um dos monges, Adelmo de Otranto. No entanto, a morte de Adelmo é apenas a primeira de uma sequência de sete mortes, que ocorrem em sete dias consecutivos e, todos os acontecimentos parecem estar ligados a um dos lugares mais misteriosos do mosteiro, a biblioteca, uma estrutura labiríntica distribuída por 56 divisões, cada uma associada a uma letra que, por sua vez, corresponde a uma região geográfica.


A Biblioteca

de Zoran Živkovic

«Segundo parecia, sempre que abria aquele livro estava perante um novo romance, inédito e genial. Comecei a abri-lo e fechá-lo rapidamente. Enfeitiçado, observava os títulos a substituírem-se uns aos outros. De repente, parei a meio de um movimento. O que acontecia com uma obra depois de eu fechar o livro? Com a minha precipitação infantil tinha perdido para sempre várias obras-primas em potência da literatura universal.» Esta antologia do sérvio Zoran Živkovic é composta por seis breves narrativas em que as bibliotecas são protagonistas, desde uma biblioteca virtual que tem todas as respostas, a uma que serve de castigo eterno e a uma tão requintada que não aceita edições de bolso.


Ficções

Jorge Luis Borges

Quando se pensa em bibliotecas na literatura, uma das primeiras que nos ocorre será inevitavelmente a de Babel, uma biblioteca quase infinita, constituída por livros que apresentam todas as combinações possíveis de letras. «A Biblioteca de Babel» é apenas um dos contos de Ficções, um dos livros mais representativos da obra borgesiana e exemplo da grandeza e do génio de Jorge Luis Borges.


Bibliotecas Cheias de Fantasmas

Jacques Bonnet

Tem medo de morrer durante o sono esmagado pela sua biblioteca? A acumulação de livros coloca a existência da sua família em risco? Arruma os livros por tema, língua, autor, data de edição, ou formato, ou segundo um critério que só você conhece? Poderemos pôr lado a lado na estante dois autores irremediavelmente desavindos?

Em jeito de confissão,  Jacques Bonnet descreve os seus peculiares hábitos de bibliófilo, a ordem da sua imponente biblioteca e a impulsão que o levou a angariar mais de 40 mil livros. Um desabafo que é também uma homenagem ao poder da palavra escrita.


Longe da Terra

Rebecca Makkai

Lucy Hall esconde um coração inquieto sob uma aparência tranquila. O seu maior desejo é de liberdade. A sua maior paixão é a literatura. A decisão de aliar ambos leva-a a aceitar um emprego na minúscula biblioteca de uma cidade perdida no interior dos Estados Unidos. Mas o anonimato bibliófilo de Lucy é posto em causa no dia em que encontra uma criança furtivamente acampada na biblioteca.


A Bibliotecária de Auschwitz

Antonio G. Iturbe

Num lugar onde os livros são proibidos, a jovem Dita esconde debaixo do vestido os frágeis volumes da biblioteca pública mais pequena, recôndita e clandestina que jamais existiu. No meio do horror, dá-nos uma maravilhosa lição de coragem: não se rende e nunca perde a vontade de viver nem de ler porque «abrir um livro é como entrar para um comboio que nos leva de férias».


A Biblioteca dos Livros Proibidos

de Tom Pugh

Janeiro de 1562. A Europa é o epicentro de uma verdadeira luta entre a luz e as trevas. Em Moscovo, Matthew Longstaff tenta cumprir a missão que lhe foi confiada: roubar um livro da biblioteca privada de Ivan, o Terrível. Longstaff trabalha para os Otiosi, um grupo clandestino de livres-pensadores determinado a manter acesa a chama do livre-pensamento que começa a expandir-se por toda a Europa. Também a trabalhar para os Otiosi encontra-se o médico e aventureiro Gaetan Durant, encarregado de obter um palimpsesto raro.


Os Homens que Salvavam Livros

de David E. Fishman

Esta é a história verdadeira e quase inacreditável de um grupo de poetas e intelectuais residentes no gueto de Vilna – a Jerusalém da Lituânia – que arriscaram a vida para resgatarem milhares de livros e manuscritos apreendidos por nazis e soviéticos.


A Biblioteca da Morte

de Glenn Cooper

A ação decorrer em três épocas, ano de 777, pós-Segunda Guerra Mundial e nos nossos dias. Tudo começa quando um assassino em série inicia uma série de mortes. Nada une as vítimas a não ser um postal que todas receberam onde são informadas do dia e da hora em que vão morrer. É designado para o caso um agente lendário do FBI com um passado conturbado, um problema com bebida e nada a perder. Acaba por descobrir-se que o segredo para tão estranho comportamento está encerrado numa biblioteca de um convento que originou uma série de mortes em 777.

Bibliotecas · Eventos

II Conferência Internacional [Re]Pensar a Biblioteca Pública: Gaming e Makerspaces


A Rede de Bibliotecas da CIRA, Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, promove, nos dias 28 e 29 de março, em Albergaria-a-Velha e Ílhavo, a «II Conferência Internacional [Re]Pensar a Biblioteca Pública: Gaming e Makerspaces»

A Conferência é dirigida a bibliotecários públicos, respetivas chefias e suas Instituições, bem como a técnicos de animação, professores bibliotecários, outros professores de equipas de bibliotecas escolares e todos os que se interessem pelo tema.

Inscrições até 21 de março em
https://goo.gl/ABjijK

Mais informações aqui.

Facebook: https://www.facebook.com/conferenciainternacional.repensarbp.7

Instagram: https://www.instagram.com/conf_internacional_repensarbp/

Twitter: https://twitter.com/ConfBp?lang=en

Bibliotecas · Biblioteconomia · Coleção · RBE

Bibliotecas escolares: gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções na era digital

Image1.png


Acaba de ser publicado pela RBE, da autoria de Manuela Barreto Nunes, um documento com as linhas orientadoras para a formalização de uma política de constituição e desenvolvimento da coleção.

O documento encontra-se organizado em cinco capítulos (Gestão, desenvolvimento e curadoria de coleções: conceitos, princípios e práticas, Critérios de seleção de recursos, Livros eletrónicos e edição eletrónica, A decisão na gestão e curadoria de coleções e Boas práticas em tempos de mudança), que cobrem os diferentes desafios que os profissionais da informação enfrentam atualmente no que concerne à gestão da coleção.

Inclui ainda como anexo uma folha de cálculo para avaliação da coleção.

Bibliotecas · MIBE · RBE

Eu ♥ biblioteca escolar | MIBE 2018

mibe

A partir do tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o International School Library Month (ISLM) em 2018, “Why I love my school library”, a RBE procurou uma formulação que melhor traduzisse para a língua portuguesa a ideia transmitida, optando-se por uma linguagem híbrida em que todas as gerações se reveem: “Eu ♥  biblioteca escolar”.

Como habitualmente, o Dia Internacional da Biblioteca Escolar será assinalado na quarta segunda-feira de outubro, dia 22.

Para além das propostas da IASL disponíveis aqui, a Rede de Bibliotecas Escolares lança o habitual desafio, para assinalar o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) e celebrar a importância das bibliotecas e de tudo o que têm de bom.

Mais informações aqui.

Bibliotecas · Eventos · Seminários/Conferências

ETerna Biblioteca – 11.º Encontro de Professores e Educadores do Concelho de Sintra sobre Bibliotecas Escolares |

etern

O Hotel Tivoli, em Sintra, acolhe, nos próximas dias 13 e 14 de Setembro, o ETerna Biblioteca – 11.º Encontro de Professores e Educadores do Concelho de Sintra sobre Bibliotecas Escolares. Com o formato já habitual – comunicações, painéis, ateliês – e com  a novidade deste ano de um teatro de marionetas, o ETerna Biblioteca é de participação gratuita mas sujeita a inscrição (até11 de Setembro)

Programa:

eterna2

Bibliotecas · Leitura

Concurso Ler em Português

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, a Rede de Bibliotecas Escolares e o Plano Nacional de Leitura lançam, em 2011.12, a 1ª edição do concurso Ler em Português, com o intuito de promover a utilização da Língua Portuguesa, aumentar as práticas de leitura e aprofundar a troca de experiências entre alunos e professores portugueses e norte-americanos.

Esta iniciativa conta, ainda, com a colaboração, no acompanhamento e divulgação locais, de outras entidades, designadamente a Secretaria Regional da Educação e Formação – Região Autónoma dos Açores, da Secretaria Regional da Educação e Cultura – Região Autónoma da Madeira e da Coordenação do Ensino de Português nos Estados Unidos da América.

Mais informações aqui.

Bibliotecas · Estudos

“Marco de referencia para las bibliotecas escolares”

O Ministério da Educação de Espanha acaba de publicar o documento “Marco de referencia para las bibliotecas escolares”  com orientações sobre o papel da biblioteca escolar no sistema educativo do século XXI, dirigidas a todos os membros da comunidade escolar, especialmente aos responsáveis pelas políticas educativas e aos técnicos e docentes que trabalham nas bibliotecas das escolas.

O documento, com 72 páginas em formato pdf, pode ser acedido aqui.